segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

FEMINISMO E O CAVALHEIRISMO

E o feminismo? Movimento que conquistou direitos importantes para as mulheres, o qual não podemos negar, e ainda assim falta muita coisa, pois a discriminação ainda é forte.
Mulheres lutando por direitos iguais, melhores condições de trabalho, junto a equiparação salarial em relação aos homens, além de pedir o respeito.
Agora falarei sobre pontos negativos do radicalismo feminista, sou dessas que não gosta de extremismos, por acreditar que os extremistas não consigam enxergar de maneira correta outros pontos de vista, todos precisamos de equilíbrio e ponderação.
Noto que o radicalismo fez muitas pessoas perderem o senso de respeito e educação entre homens e mulheres, e podemos constatar isso em relação ao cavalheirismo, o qual não é aceito por radicais feministas, por acreditarem ser algo que rebaixe as mulheres.
Sim, temos que lutar por direitos iguais, como os cargos em empresas, os quais temos a mesma competência que os homens, mas não podemos negar a diferença física entre os sexos, nós mulheres somos mais frágeis e também mais sensíveis, e aquele que é mais forte, o homem, agirá como um protetor que é uma questão de instinto.
Prefiro ,viver num mundo, em que os homens tratem as mulheres com educação, respeito e também proteção, e não entendo isso como submissão, desde que evidentemente não haja exageros na proteção.
Qual a mulher que não se sente lisonjeada quando um homem abre a porta do carro para ela? Quando a coloca para andar do lado direito da calçada, quando a defende de algum malandro, quando oferece um lugar para que ela se sente no ônibus, quando lhe dá a passagem ao descer ou subir o ônibus, quando lhe cumprimenta educadamente? Não consigo entender esses gestos como subjugação, pois prefiro conviver com cavalheiros.
Quando ando pelas ruas, e principalmente, quando estou andando de transporte público fico perplexa ao ver homens mal educados que nem lugar para senhoras idosas oferecem para que se sentem, sei que há mulheres também mal educadas, mas já vi homens usarem como argumento "os direitos iguais feministas" para não oferecerem o seu lugar no banco.
Atualmente, quando vejo algum homem perguntar para uma mulher se ela quer se sentar no banco, fico surpresa e com algo que acredito ter sido comum antigamente, na época dos bondes. Sei que tem gente que me dirá, que essa atitude tem segundas intenções se a mulher for bonita, sei que tem isso também, mas já vi um mesmo homem que me perguntou se eu queria sentar no banco, fazer isso com outras mulheres e senhoras, e essa é a diferença, respeito, educação e cavalheirismo. Por favor, aos homens de verdade não percam isso, pois se existem as radicais feministas que não gostam, existem as mulheres que apreciam e muito gestos como esse.


Nenhum comentário: