segunda-feira, 21 de maio de 2012

ENCARANDO O NOVO


Por que nos tornamos tão acomodados? Reclamamos da vida, de algo, de alguém, do serviço, mas permanecemos na maioria das vezes inertes. O quão é difícil sair da zona de conforto apesar do incomodo, e na maioria das vezes não saímos por preguiça ou medo de encarar o novo, seja porque dará trabalho ou pelo medo do fracasso.
Tentar, desafiar se faz necessário, pois se quero ser feliz devo mudar o rumo de minha vida, afinal de contas para que estamos no mundo?
Sair de um trabalho que já não lhe empolga mais, ou se separar de alguém que já não estava caminhando ao seu lado, ou até mudar de operadora de celular que já não lhe satisfaz. São pequenas ou grandes coisas ou mudanças que irão mudar as nossas vidas, eliminando chateações ou empecilhos, mas só saberemos o que virá se agirmos.
O gosto pelo aprendizado, sei que para muitos é chato estudar, mas é necessário e pode tornar-se agradável quando escolhemos aquilo que gostamos, e até mesmo o que parece ser chato pode ter o agradável escondido, mas para isso acontecer a mente deve estar aberta e focada. Qual o propósito de estudar? Aprender e para que? Evoluir em que? Profissionalmente ou espiritualmente. Quais são as nossas ambições? Sacrifícios são necessários para quem não nasceu em berço de ouro e nem ganhou na mega sena.
Sou dessas pessoas que precisam de "choques" para acordar, e definitivamente isso não é bom, é o tal medo do "novo", mas tem horas que sem o tal "choque" consigo entrar em ação. Ufa! Vou na luta contra os meus fantasmas, infelizmente não sou a Mulher Maravilha, mas tenho força e inteligência, e devo saber usá-la, por mais que tenham momentos em que me sinto no chão, sei que posso levantar, caminhar e seguir a minha direção.
Quando vencemos o primeiro obstáculo "o medo", a esperança vem em seguida trazendo a segurança e a positividade juntos. Tomo jogadores de futebol como exemplos, principalmente, os especialistas em bater faltas ou pênaltis onde eles permanecem horas treinando e treinando para poder atingir o objetivo, o gol. Mas até o melhor do mundo num momento decisivo poderá falhar, afinal ninguém vive somente de acertos e se todos aqueles que errarem desistirem de tentar novamente, o que será do mundo?
Quantas tentativas foram realizadas até que uma invenção se tornasse perfeita? Sempre me recordo da história de Thomas Edison ao inventar a lâmpada, cujas tentativas foram mais de mil. E quando um de seus colaborados lhe perguntou se tantas tentativas fracassadas não o desanimava, e ele disse: "Fracassos? Não sei do que fala, em cada experiência descubro um dos motivos pelo qual a lâmpada não funciona. Agora sei mais de mil maneiras de como não fazer a lâmpada". Temos nele um exemplo, de loucura para
uns, mas de persistência e força de vontade, e graças a esses gênios considerados " loucos" para muitos da época conseguimos evoluir e temos invenções das quais não saberíamos mais como viver sem.
A maioria de nós não pertence a categoria gênio, isto é óbvio, mas neles podemos nos espelhar quando formos enfrentar desafios. Basta pesquisarmos as vidas desses grandes inventores para descobrirmos a quantidade de "nãos" que receberam, os diversos fracassos e o quanto foram achincalhados até que os seus sonhos se tornassem reais.
É necessário desafiar, buscar o novo e tornar os sonhos possíveis.

2 comentários:

Ricardo Santos disse...

Até pouco tempo eu mudava só na base do "empurrão", mesmo intuição dizendo para eu mudar.
Aí o resultado era sempre pela 'dor'.
Mas o ser humano é assim mesmo, acomodado por natureza.

Fique bem.

Thiagorocha disse...

Incrível como você escreve bem, Ana! A gente começa a ler e quando percebe, estamos atentos a “sua historia”, naturalmente. .. Mas voltando ao texto, como é difícil começar essa mudança, né? Temos tantos medos, receios, as vezes, pensamos demais e fazemos de menos ... Talvez falte coragem, talvez sobre prudência, mas o certo é que a vida não para, e se cada dia que nasce é um dia novo e único, porque não fazer isso valer de fato? Aprender um pouco mais a cada dia, procurar fazer coisas diferentes, maneiras inteligentes e alegres de buscar essa mudança, e não ficar estático à um sentindo só..